Logo

UHF

UHF
Music Producer / Performance
Redes Sociais:

A data de 18 de Novembro de 1978 é considerada o dia 1 dos UHF. Nessa noite realizaram o primeiro concerto a sério na discoteca Brown’s, em Lisboa, juntamente com os Faíscas, de Pedro Ayres Magalhães, e Aqui d’el Rock. A banda é formada por António Manuel Ribeiro (voz), António Côrte-Real (guitarra), Luís ‘Cebola’ Simões (baixo), Ivan Cristiano (bateria)
Na primavera do ano seguinte gravam o primeiro disco, o EP “Jorge Morreu”, para uma pequena editora de Lisboa, Metro Som, sem sucesso comercial e escasso reconhecimento público. A reputação do grupo consolida-se em múltiplos concertos, primeiro na área da Grande Lisboa e depois descobrindo o país. Chegam, com essa experiência de palco, ao gigante Valentim de Carvalho, que edita em 1980 o seminal Cavalos de Corrida. Juntamente com Chico Fininho, de Rui Veloso, fundam o movimento musical que ficará conhecido como rock português.
Em 1981 ganham o prestigiado Prémio da Casa da Imprensa, na categoria de revelação, somando ao longo do ano vendas superiores a 100 mil discos. No início de 1982 gravam o disco de despedida da Valentim de Carvalho, o premonitório “Estou de Passagem”, rompendo um contrato de 5 anos e transferindo-se para a Rádio Triunfo/Orfeu.
Editam o LP Persona Non Grata, escrito ao longo da digressão desse verão quente dos UHF. Rescindem um novo contrato discográfico em 1985, com o primeiro disco do universo rock gravado ao vivo em Portugal, Ao Vivo em Almada – No Jogo da Noite (1985), o vinil mais raro e caro no mercado actual de usados, atingindo e ultrapassando os 300 Euros em licitações na Net. A partir daí, as mudanças de editora vão tornar-se um dado comum na vida dos UHF. Frontal, independente e assertivo, António Manuel Ribeiro assumirá mais tarde que os contratos editoriais são como os casamentos, que conduzem a amiúde a divórcios quando as coisas não vão bem.
Os sucessos radiofónicos continuam e os discos dourados também – estão além da moda e da estação. Os egos crescem e da banda inicial, a partir de meados dos anos ‘80, restará o líder e fundador AMR, autor maioritário do repertório da banda. Na Tua Cama (1988) e Hesitar (1989) marcam os três anos no catálogo Edisom. Entre 1991 e 1998, os UHF integram o catálogo da multinacional BMG, hoje na SONY Music, com um rasto de grandes canções: Brincar no Fogo (1991), Menina Estás à Janela (1993), Sarajevo (1993), Toca-me (1995) e Foge Comigo Maria (1996), apenas para referir os números 1.
Em 1998 decidem tornar-se editorialmente independentes, antevendo o encolhimento da indústria discográfica nacional, arrastado pelo que acontece no resto do mundo. Editora e produtora próprias, agência de representação exclusiva e promoção em outsourcing, constituem o núcleo de profissionais que envolvem os UHF. Matas-me com o teu olhar (2005), é um mega sucesso de rádio na primeira década do século XXI e um vulcão emocional do palco para o público, fruto deste trabalho empresarial. Mas também Quando (dentro de ti) (1998), Uma palavra Tua (1999), A Lágrima Caiu (2003), Viver Para te Ver (2010), A Minha Geração (2013) e o incontornável hino da modernidade do clube da Luz, Sou Benfica (1999), revelam os sucessos da discografia do grupo. Um artista vale o que valem as suas canções.
Em Janeiro de 2015, foi lançado um novo livro de António Manuel Ribeiro, Por Detrás Do Pano, da Chiado Editora, uma viagem biográfica pelo interior dos UHF e o exterior da música portuguesa que muito ajuda à compreensão da matriz uhfiana .Em Outubro do mesmo ano, a banda já somava 1.700 concertos em Portugal e no mundo e mais de um milhão de discos vendidos, cassetes e DVD. Estão representados em mais de 100 colectâneas com outros artistas, incluindo Estados Unidos e Brasil e foram apresentados na revista Blitz. A 30 de Outubro, os UHF editaram o duplo CD O Melhor de 300 Canções, a sua primeira colectânea global, que reúne 35 clássicos e 2 originais.
Em 2018, os UHF mostraram estar de volta com o lançamento do single “Hey! Hey! (‘bora lá), lançando no ano seguinte um novo disco. Gravado no estúdio Ponto Zurca, em Almada, sob a direcção da dupla João Martins (técnico) e António Manuel Ribeiro (produtor), “Hey! Hey! (‘bora lá)” reúne os UHF com o músico convidado Manuel Paulo (Hammond B3). A banda celebrou quatro décadas de carreira em “40 anos numa noite” no dia 29 de Dezembro na Casa da Música no Porto. Este concerto contou com as participações de Frankie Chavez, The Legendary Tigerman, João Pedro Pais e o membro fundador Renato Gomes.

Post Image

UHF | Celebra-se hoje o 40º Aniversário do single Cavalos de Corrida

Post Image

UHF | Novo single Portugal – Somos Nós + Momento Musical Caseiro

Post Image

UHF | Momento Musical Caseiro – showcase especial amanhã

Currently, we have no future events.